Sobre o mesmo assunto

Em 1923, inaugurando o Copacabana Palace, a ilustre artista francesa expressa seu amor pelo Brasil.

Dedicatória de Mistinguett para um destinatário desconhecido, talvez o diretor do Copacabana Palace. Uma página. Em francês. 13,5 cm x 20 cm. Rio De Janeiro, 20 de agosto de 1923. Bom estado. R$ 2.500.

Amar não é nada, ser amada é tudo. Amo o Brasil.
Mistinguett.
Rio 20 de agosto 23

Mistinguett (1875 – 1956), lendária cantora e atriz francesa, começou como florista, cantando músicas para os clientes e sonhando brilhar nos palcos. Com a ajuda de seus pais, decidiu investir em aulas de dança e de canto. Estreou no Cassino de Paris em 1895, aparecendo também em espetáculos no Folies Bergère ou no Moulin Rouge. Muito sensual, suas apresentações conquistaram o público de Paris e logo depois o mundo, tornando-se a vedete mais popular e rica de sua época. Em 1919 assegurou suas pernas, fantasia e desejo de milhões de fãs, por uma apólice milionária à época.

Mistinguett teve uma carreira muito longa como cantora, mas foi também um símbolo de vanguarda por seu estilo de roupas e atitudes, sendo a primeira a usar cabelo curto, a exibir suas pernas e a fumar, hábitos consagrados mais tarde por Coco Chanel. Trabalhou também nos primeiros filmes franceses, na época ainda mudos. Em todas suas atividades, manteve sempre contato direto com o público. Muito carismática e bonita, hipnotizou o público e… os homens, como por exemplo o jovem Maurice Chevalier, um marajá indiano, filho da rainha Vitória da Inglaterra e um rico brasileiro com quem teve um filho.

Por que esse documento é raro ?

Este documento foi escrito por Mistinguett, no Rio De Janeiro, uma semana depois da sua participação na inauguração do Copacabana Palace, como cantora, o 13 de agosto de 1923. Encontrei Gabriela Gurgel, a Gerente de Comunicações do Copacabana Palace, que sugeriu apresentar a bela dedicatória durante os eventos comemorativos dos 100 anos do Copacabana Palace em 2023.

♦ R$ 2.500 ♦