Uma dedicatória em forma de partitura, com uma carta, do compositor brasileiro para uma amiga pianista.

Documento com pequena partitura e assinatura, com uma carta, de Heitor Villa-Lobos, para a pianista Adelina Santiago « Didi ». Uma folha, frente e verso. Em português. 13,3 cm x 19 cm. Estado do Pará. 01/08/1946. Bom estado, algumas pequenas manchas que não prejudicam os textos.

Frente

Será possivel ?
Di, no lugar do Do,
Do, no lugar do Di.
H. Villa-Lobos

Verso

Didi,

Para quem se dispõe a seguir obra difícil mas gloriosa como aquela que se aprende e pratica em tua casa mas de novo se pode dizer, uma vez que essa obra se possua na mais pura e mais bela de todas as filosofias. Nunca, porém, será demais repetir, como eu o faço agora, citando este trechinho dos Provérbios de Salomão : ‘Guarda o teu coração mais do que todas as coisas, pois dele vêm os frutos da vida’.

1.8.46, Pará

Heitor Villa-Lobos (1887 – 1959) é considerado, tanto pelos amadores como pelos especialistas, como o maior maestro e compositor brasileiro. Em 1915, Villa-Lobos começou trabalhar como instrumentista e com 19 anos de idade fez suas primeiras composições. Viajou muito pelo mundo, especialmente na França e nos Estados Unidos, dirigindo suas próprias composições e ganhando a admiração do público, inclusive de Debussy e Stravinski. No Brasil, fez pesquisas detalhadas sobre o folclore brasileiro, o que inspirou grande parte das suas composições.

« Didi » é uma pianista e professora de piano carioca que ainda mora no Rio, foi aluna e amiga de Heitor Villa-Lobos.

Por que esse documento é raro ?

Cartas manuscritas ou datilografadas, autógrafos ou partituras assinadas pelo compositor brasileiro são cada vez mais procuradas por colecionadores amantes de música clássica, tanto no Brasil como no exterior. Essa peça, combinando uma carta, com um conteúdo relevante, e uma pequena dedicatória em forma de partitura, é particularmente desejável.