Sobre o mesmo assunto

Em 1926, o famoso aviador presenteia um conhecido com sua fotografia e uma dedicatória… irónica ?

Fotografia antiga do famoso aviador Alberto Santos Dumont anteriormente colada sobre um cartão apresentando a seguinte dedicatória. Em português. Cartão de fundo : 37 cm x 24 cm. Fotografia: 17 cm x 23.5 cm. Valmont sur Territtet, Suiça. 1926. Estado médio.

« Val Mont sur Territtet (Suisse)
1926
 
A senhora J. Quadro Ges.,
o menino Paulo de Quadros
e sua professora em companhia do grande
Santos Dumont »

A partir de 1910, Alberto Santos Dumont (1873 – 1932), aos 37 anos de idade, viu sua saúde piorar drasticamente devido à combinação de excesso de trabalho e um colapso nervoso, causado ​​após perceber que a aviação se tornava um meio comum de transporte e que a era dos pioneiros estava chegando ao fim. Além disso, teve que admitir que os irmãos Wright foram, provavelmente, os primeiros do mundo a voar, especialmente à medida em que eles vinham fazer exibições na França.

De um dia para outro, Santos Dumont anunciou que estava abandonando a aviação, fechou o seu « aeroporto » e demitiu todo o seu pessoal. A partir desse momento, apesar de diversas novas invenções, como o helicóptero ou o hidroavião ou teleférico, que não tiveram o sucesso esperado. A sua existência foi apenas uma longa descida física e intelectual que o levou, depois de remissões e estadias em sanatório na França e na Suíça, até seu suicídio em São Paulo, 22 anos depois, em 1932, no início do seu sexagésimo ano.

Segundo Douglas Cavallari, especialista e biógrafo de Alberto de Santos Dumont:

« Em primeiro lugar, muito obrigado pelo contato e parabéns pela aquisição da foto, é muito rara. Eu tenho uma reprodução fotográfica de uma cópia dessa foto, que localizei no Museu de Dumont, cidade no interior de São Paulo. Mas nunca havia visto uma original.
 
A história dessa foto é a seguinte: nos últimos anos de vida (principalmente entre 1922 e 1932), Santos-Dumont ficou internado diversas vezes nas chamadas “clínicas de reabilitação”, que nada mais eram do que manicômios para pessoas ricas. Uma dessas clínicas (que existe até hoje) é a Clinique Valmont, na Suíça. A clínica na verdade fica em Glion, Territet (com um « t » apenas) é um vilarejo vizinho. »

Em relação à dedicatória, trata-se provavelmente de uma lembrança dada para brasileiros que Santos Dumont deve ter conhecido na cidade em sua estada na clínica. Será que o « grande » usado por Santos Dumont é ironia ou ego do aviador depressivo ?

♦ R$ 2.500 ♦