O primeiro Premio Nobel de literatura não europeu assinou um retrato dele durante uma viagem em 1920.

Desenho de Jan D. Ros, representando Rabindranath Tagore, com a assinatura de Tagore. Vem com um documento indicando onde e quando foram executados o desenho e um livro raro de Jan D. Ros. Em holandês. 29 cm x 21.4 cm. Holanda, 1920. Bom estado.

Rabindranath Tagore (1861 – 1941) foi o primeiro não-europeu a conquistar o Nobel de Literatura, em 1913. Romancista e poeta, mas também músico, ele influenciou profundamente a literatura e a música da Índia.

No início do século XX, na Holanda, já havia muitas pessoas procurando sossego e uma espiritualidade nova, especialmente após a Primeira Guerra Mundial (1914 – 1918) em que a Holanda se manteve neutra. E quando pensadores « das colônias » como Krishnamurti e Tagore vieram para a Europa, eles foram muito bem recebidos como portadores de algum esclarecimento e espiritualidade.

Por que esse documento é raro ?

Rabindranath Tagore ficou menos de uma semana na Holanda, interessado especialmente nas experiências educacionais que estavam sendo realizadas no país e nas tentativas que estavam sendo feitas para introduzir o movimento cooperativo entre os camponeses. Ele foi convidado por Frederik Van Eeden (1860 – 1932), um dos mais importantes autores de sua geração, na Holanda. Grande admirador de Tagore, ele escreveu no seu diário :

Sunday, September 19th. I met Tagore, I awaited him at the railway station. The first thing I saw was his shining grey hair in the compartment. He noticed me and it seemed as if he recognized me. He is a fine honourable figure. He was dressed in grey, wearing a blue robe and a high black cap on his head. He wore eye-glasses. His voice is soft and pleasant to listen to. It sounds somewhat high of tone and a bit breathless. He has his hair and beard long. He spreads a strong influence of purity and serenity. It is as though he is surrounded by a fresh, clean and healthy atmosphere. And his appearance is in a stately way and very much in harmony. He is a little bit taller than I am, and one year younger. But in the presence of his honour I felt like a street-boy, with my cap, my plain trousers and my red shoes. The ticketman from the railway station, who knows me well, asked: « This must be a very highly placed person, doctor Van Eeden? » « Yes » I said, « very highly placed indeed ». I have never known any person with such a « presence » which everyone should feel such respect for. Tagore enjoyed himself in the bright cloudy sky and the low landscape just as flat as Bengal.

Liesbeth Meyer, holandesa, especialista sobre Rabidranath Tagore, confirmou também a originalidade e raridade desse conjunto.