Um dos cartazes oficiais da Copa Do Mundo de Futebol 2006 na Alemanha, assinado pela artista brasileira Beatriz Milhazes.

Um dos 14 cartazes oficiais da Copa 2006 na Alemanha, realizado pela artista brasileira Beatriz Milhazes, cujo título é « Maracanã ». Edição limitada a 800 exemplares no mundo, numerados e assinados pela artista. Essa peça tem o número 501/800; a imagem apresentada aqui é uma outra peça, com o número 34/800. 97 x 65 cm. Excelente estado.

A criação da artista tinha que conter uma relação com o futebol, sem perder a identidade com o seu trabalho ; foi uma obra demorada. Em primeiro lugar, a artista  teve que consultar seu pai sobre futebol. E ainda fazer uma pequena pesquisa sobre bandeiras. Terminou em 2005 e, em maio 2006, foi a Berlim para assinar o original.

Eu me apeguei à bola de futebol tradicional [gomos pretos e brancos] e com ela criei um eixo central para a composição. Em torno dela, desenhei cinco anéis, cada um representando um país, em seu continente. Desse eixo, formas de arabescos compõem um tipo de ‘dança’ sobre a superfície do papel. Uma espécie de ‘bailado sobre o verde’.

Beatriz Milhazes (nascida em 1960) é uma artista brasileira nascida no Rio De Janeiro em 2006. A cor é um elemento fundamental da sua obra, assim como a abstração geométrica, flores e arabescos.

A partir dos anos 90, destaca-se em mostras internacionais nos Estados Unidos e Europa e integra acervos de museus como o MoMa, Guggenheim e Metropolitan, em Nova Iorque. Em 2006, ela foi a única sul-americana convidada para fazer um dos 14 cartazes oficiais da Copa. Como a música, a temática do futebol é recorrente na cultura brasileira : essa obra de Milhazes, colorida e alegre, celebra essa paixão popular.

Por que esse documento é raro ?

Uma tela de Beatriz Milhazes, « O Moderno », de 2002, foi vendida em 2001 em Londres por US$ 1,1 milhão (R$ 1,8 milhão), em leilão. Esse valor, agora, recorde mundial para a artista carioca, desbanca o preço do quadro « O Mágico », arrematado há três anos em leilão da Sotheby’s, em Nova Iorque, por US$ 1,049 milhão, ou cerca de R$ 1,68 milhão. Enfim, Beatriz Milhazes se tornou uma artista renomada, cada vez mais procurada pelos colecionadores brasileiros e estrangeiros. Autógrafos dela são incomuns.