Sobre o mesmo assunto

A esposa e parceira do famoso escritor brasileiro, descreve o sucesso do autor nas ruas de Portugal.

Carta de Zélia Amado para o casal Zora Seljan e Antonio Olinto (chamados de « Zolintos ») contando as aventuras de Jorge Amado em Portugal, onde era muito reconhecido nas ruas por causa das novelas. Uma página, papel de seda muito delicado, com cabeçalho do hotel Tivoli, em Lisboa, onde o casal Amado costumava se hospedar. Em português. 13,5 cm X 20 cm. Portugal, sem data. Excelente estado.

(…) Jorge é apontado – muitas vezes parado – pelas ruas como a gajo das novelas. Isso porque o povo acha – Portugal em peso assiste as novelas brasileiras – que Jorge é o autor delas todas e, alguns que ele é ator : « Olhe lá o gajo que escreve as novelas! », « olhe que o senhoire tem cabeça! », « o senhoire por acaso não é coronel Ramiro? » (…) Metem os pés pelas mãos, confundem tudo (…).

Grande admiradora da obra de Jorge Amado, Zélia Amado (1916 – 2008) começou trabalhar com Jorge Amado em 1945 no movimento pela anistia dos presos políticos. Pouco tempo depois, os dois escritores se casaram e Zélia decidiu ajudar o marido revisando e digitando na máquina os manuscritos originais dele. Viveram no Rio de Janeiro, em Paris e na Checoslováquia, onde Zélia iniciou o projeto de fotografar Jorge, permitindo um registro de todos os acontecimentos chaves da vida do escritor. Finalmente, se mudaram para Salvador, na Bahia, a terra natal.

Jorge Amado manteve a vida toda uma intensa correspondência com personalidades brasileiras e estrangeiras. São mais de 100 mil páginas em processo de catalogação na sua fundação, documentos que serão infelizmente – por própria vontade do escritor – disponibilizados para o público apenas a partir de 2051. Jorge Amado conversava evidentemente sobre literatura, mas também arte ou simples fatos do cotidiano, com intelectuais brasileiros ou estrangeiros como Pablo Neruda, Gabriel García Márquez, José Saramago, Juscelino Kubitschek ou François Mitterrand, oferecendo para sua Fundação uma inestimável fonte de pesquisa.

Por que esse documento é raro ?

Este documento é interessante por representar uma testemunha direta do sucesso internacional de Jorge Amado, da importância da sua obra na cultura popular brasileira e do apoio das esposas (ou maridos) – muitas vezes desconhecidos – dos grandes artistas, esportistas, cientistas, políticos, etc.

♦ R$ 2.500 ♦