Caligrafia típica do pioneiro da escultura cubista escrevendo para uma estudante em artes sortuda.

Carta escrita e assinada por Chaim Jacob « Jacques » Lipchitz para Lynn Stragger, uma estudante em artes de Filadélfia, nos Estados Unidos. Vem com o envelope original. Uma página. Em inglês. 20 cm x 21,5 cm. Nova Iorque, 8 de março de 1960. Bom estado.

O escultor Jacob Lipchitz (1891 – 1973), mais conhecido como Jacques Lipchitz, foi um artista franco-americano, pioneiro da escultura cubista. Ainda muito novo, ele morou em Paris onde conheceu outros jovens artistas como Matisse ou Modigliani. Em 1913, o pintor mexicano Diego Riviera o apresenta para Pablo Picasso, um encontro que influenciou de forma decisiva Lipchitz : fascinado pelo estilo de Picasso, ele começou a se dedicar à escultura cubista.

Durante a segunda guerra mundial, sendo judeu, ele teve que fugir da França, ocupada pelos nazistas. Em 1941, instalou-se em Nova Iorque onde produziu e expôs grande parte das suas obras importantes. Atingiu a consagração internacional, em 1954, com uma grande exposição no MoMa de Nova Iorque, exposição mencionada nessa carta. Nos anos 1960, retornou à Europa e terminou sua vida na Itália, onde morreu.

Existe no Brasil uma escultura de Jacques Lipchitz, chamada « Homem com águia » , instalada no edifício do Ministério de Educação e Saúde, no Rio de Janeiro. Em 1936, o arquiteto Le Corbusier liderava a equipe encarregada de projetar o prédio e sugeriu a encomenda de uma peça ao escultor. Lipchitz enviou ao Rio um protótipo em escala reduzida, aplicado, por engano, à fachada do edifício. Em 1953, a escultura foi realizada nas dimensões corretas para o Museu de Filadélfia, nos Estados Unidos.

Por que esse documento é raro ?

O que chama a atenção nessa carta, além da presencia do envelope e do excelente estado de conservação do conjunto, é a incrível caligrafia do escultor.