Em 1910, pesquisadores do Instituto Oswaldo Cruz e do British Museum colaboram sobre doenças tropicais.

Carta do British Museum of Natural History para o Dr. Carlos Jorge Rohr do Instituto Oswaldo Cruz. Duas páginas escritas. Em inglês. 12,3 cm x 19,1 cm. Londres. 15 de fevereiro de 1910. Bom estado.

(…) I take the great liberty to ask you if it were possible for you to spare a copy of your work on ticks « Estudos sobre Ixódidas do Brasil ». I really do not know when to get it here in London. I think either the Instituto od Manguinhos or the Instituto Oswaldo Cruz have published one or two short papers on ticks. Would it be too much to ask you if it were easy to get them ? (…)

O Instituto Oswaldo Cruz, inicialmente chamado de Instituto De Manguinhos e hoje chamado Fundação Oswaldo Cruz, ou Fiocruz, é uma instituição federal referência em pesquisas na área da saúde pública. Localizada no Rio de Janeiro, foi criada em 1900, por Oswaldo Cruz (1872 – 1917), cientista e médico, especialista em pesquisa e no tratamento das doenças tropicais. Focado inicialmente na fabricação de soros e vacinas contra a peste. O Instituto se tornou a mais importante instituição de ciência e tecnologia em saúde da América Latina, respeitada internacionalmente.

O British Museum Of Natural History é um museu Britânico foi fundado em 1753, o primeiro museu público nacional no mundo. Desde o início, é concedida entrada gratuita para todas as « pessoas estudiosas e curiosas ‘. O número de visitantes cresceu de cerca de 5.000 por ano no século XVIII, para quase 6 milhões hoje. O edifício tem uma grande sala de leitura, em que uma série de escritores, filósofos e cientistas ilustres trabalhou, por exemplo, Charles Dickens e Karl Marx.

Carlos Jorge Rohr (1888 – 1951) foi um bacteriologista que trabalhou no Instituto Oswaldo Cruz e escreveu « Estudos sôbre ixódidas do Brasil », elaborada toda no Instituto com o acompanhamento do próprio Oswaldo Cruz na bibliografia, observações e pesquisas. Ainda não temos informações sobre o remetente desta carta, o senhor « Jerzi » que era provavelmente um cientista trabalhando sobre doenças tropicais, no British Museum.

Por que esse documento é raro ?

Esta carta é muito interessante por mostrar a colaboração científica entre duas das maiores instituições científicas da época, a já importante função do Brasil na pesquisa mundial e a dificuldade que tinham os cientistas – sem internet ou email – para conseguir livros ou artigos de colegas. Foi doada pela Coleção Glórias para a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro, em outubro de 2014.