A personalidade brincalhona do criador do Picapau Amarelo se revela nesta carta para um amigo.

Carta de Monteiro Lobato para o escritor Mário Donato (1915 – 1992). Uma página. Em português. 21,6 cm x 15,5 cm. Sem localização. 1943 é a data provável. Bom estado.

Monteiro Lobato (1882 – 1948) foi um dos mais influentes escritores brasileiros do século XX. Precursor da literatura infantil, suas obras alcançaram uma imensa popularidade com livros didáticos e infantis que usam uma linguagem simples.

Reinações de Narizinho (1931), Caçadas de Pedrinho (1933) e O Picapau Amarelo (1939) são suas obras mais famosas e  Emília, Pedrinho, Cuca, ou Saci Pererê são personagens que o Brasil inteiro conhece, há várias gerações.

Já adulto, Monteiro Lobato recebeu uma herança que lhe permitiu voltar-se para sua paixão e publicar seus primeiros contos em jornais e revistas. Ele tornou-se também editor, passando a imprimir livros também no Brasil em uma época em que os livros brasileiros eram editados em Paris ou Lisboa.

Por que esse documento é raro ?

Apesar de termos poucas informações sobre esta carta, o tom dela é evidentemente engraçado e zoador, uma testemunha rara da personalidade faceira de Monteiro Lobato.