Sobre o mesmo assunto

O genial escritor deixa um bilhete para sua amante, Leonor De Aguiar, que responde com uma marca de batom.

Bilhete, manuscrito, que narra que Monteiro Lobato procurou Leonor De Aguiar, não a encontrou e pede que ela o procure, no verso há marcas de batom, provavelmente ela beijou o bilhete. Em português. 9,5 cm x 21,3 cm. Sem informação sobre a data e a localização. Estado médio. R$ 2.500.

Leonor, Lobato esteve aqui às 4,45 e deu com o nariz na porta. Voltará outro dia. Recebeu o bilhete [rasura] na Editora. Me disse telefonar para 72077, antes do almoço, para marcar encontro. Adeus, anjo! Lobato.

Monteiro Lobato (1882 – 1948) foi um dos mais influentes escritores brasileiros do século XX. Precursor da literatura infantil, suas obras alcançaram uma imensa popularidade com livros didáticos e infantis que usam uma linguagem simples. Reinações de Narizinho (1931), Caçadas de Pedrinho (1933) e O Picapau Amarelo (1939) são suas obras mais famosas e Emília, Pedrinho, Cuca, ou Saci Pererê são personagens que o Brasil inteiro conhece, há várias gerações.

Leonor De Aguiar foi sua amante. Intelectual, de família tradicional paulista, ela era uma mulher avante de seu tempo, falava várias línguas, morou na Europa, intelectual, amiga do senador Freitas Vale e frequentadora assídua da Vilia Kyrial. Apareceu com destaque na minissérie « Um só coração », em comemoração aos 450 anos de São Paulo.

Por que esse documento é raro ?

Os documentos mais valiosos mostram um aspecto desconhecido da personalidade, ou da vida, de uma personalidade histórica ; nesta carta, entramos na intimidade do grande escritor Monteiro Lobato, apaixonado, recompensado por um beijo epistolar – uma marca de batom – da sua amante.

♦ R$ 2.500 ♦