Sobre o mesmo assunto

O deputado abolicionista francês escreve, com paixão, que o trabalho livre é possível e necessário.

Texto escrito pelo deputado francês abolicionista Auguste François Perrinon. Em francês. Uma página. 26.2 cm x 37,5 cm. Paris, o 6 de julho de 1850. Excelente estado.

Não existe nada mais precioso para o Homem do que a liberdade do seu ser. Nenhum sacrifício deve lhe custar nada para conquistá-la, quando esta foi roubada. Se os negros foram escravos durante tanto tempo, é porque os seus olhos foram vendados pela ignorância, para impedi-los de ler esta verdade em todos os lugares onde ela está escrita, e porque foi abafado em seus corações, com a degradante coerção do chicote, o sentimento da sua força e do seu direito.

Criado em uma família de negros da ilha caribenha do Martinique, Auguste François Perrinon (1812 – 1861) completou uma formação militar prestigiosa na França, tornou-se deputado e publicou em 1847 um livro onde explica que « o trabalho que está sendo realizado por escravos poderia muito bem ser realizado por pessoas livres e com um custo igual ».

Conseqüentemente, ele foi convidado a entrar na Comissão para a Abolição da Escravidão, organizada por seu amigo Victor Schoelcher.

Por que esse documento é raro ?

Perrinon escreveu esse texto vibrante e histórico para celebrar sua grande vitória, a abolição oficial da escravidão nas colônias francesas do Caribe em 1848.

♦ Coleção da minha filha ♦